Para conseguir o que queremos com fácil acesso, os smartphones foram criados. Pensados para que o indivíduo não perca mais tempo, são hoje os principais instrumentos de tecnologia utilizados pela população. Com a mudança do computador para os celulares, o mercado precisou inovar e adaptar-se à nova rotina e aos novos hábitos dos seres humanos. A AMP foi criada para tornar nossa experiência na Internet ainda melhor e mais rápida. A seguir, saiba tudo o que é necessário sobre o método que está inovando as pesquisas do Google.

O que é AMP? | Foto: Freepik

O que é AMP?

Accelerated Mobile Pages (páginas aceleradas para dispositivos móveis, em português) é uma iniciativa criada pelo Google em parceria com LinkedIn, Pinterest e Twitter, para otimizar páginas de sites, tornando o acesso rápido e prático em celulares. O intuito do amp project é tornar a experiência dos usuários simples e rápida, já que pesquisas realizadas pela empresa apontam que a maioria dos deles desistem de acessar sites que demoram mais de 3 segundos para carregar e que, em média, as páginas carregam nas redes móveis em 19 segundos.

Baseando-se nessas informações, o projeto criou uma tecnologia que possibilita a manipulação de html e que cria uma nova versão do site original, reduzindo as informações presentes, sejam elas imagens, vídeos e, até mesmo, anúncios. Isso possibilita um carregamento de 0,7 segundos nas páginas que adotam o serviço. 

Como funciona a AMP?

A Accelerated Mobile Pages minimiza o que visualizamos do site nos celulares por meio da modificação da html, criando uma nova face para tornar o acesso rápido. Como um projeto de código aberto, a amp project apresenta um modelo padrão para facilitar a criação da página, como título, autor, texto e imagens, excluindo elementos desnecessários e que tornam o carregamento do site lento. Ou seja, a velocidade atribuída vem de sua interface já pré-idealizada e definida. Uma página AMP possui uma configuração de três etapas:

  • AMP HTML: a modificação do código html, utilizando tags da própria html e criando novas, específicas da AMP, possibilitando o bom funcionamento do site no celular;
  • AMP JS: é responsável pelo desempenho da página, impedindo que elementos possam bloquear a renderização de outros;
  • Google AMP Cache: armazena todas as páginas amp no cache do servidor Google. Essa é uma função opcional e outras empresas podem desenvolver também um cache AMP.

Para saber se um site está disponível em AMP, basta observar a marcação da página após sua busca. Sites que possuem uma AMP HTML estão sinalizados com um pequeno raio que indica o propósito do projeto: velocidade.

Quais as vantagens da AMP?

Ela foi desenvolvida para facilitar a vida daqueles que acessam e daqueles que decidem montar uma página acelerada: existem vantagens para ambos os lados. Enquanto os que acessam o site fazem essa operação em menos tempo, os que investem em um AMP html tornam seus portais mais atrativos com a possibilidade de acesso em pouco tempo.

Essa velocidade permite uma entrada quase instantânea, além da economia de dados móveis, pois, quanto mais rápido o acesso ao conteúdo desejado, mais rápida é sua interação e menos você gasta, detalhe considerado pelo Google ao desenvolver a amp project. A AMP não é uma estratégia de Search Engine Optimization, mas pode auxiliar no engajamento de seu site na hora das buscas, unindo qualidade e velocidade às suas páginas na web. Ao deparar-se com um site que corresponde a nossa busca mas demora para carregar, é possível perder o interesse em acessá-lo.

Ao utilizar técnicas de SEO e otimizar a velocidade de seu site com AMP, ele ficará na frente de outros sites nas buscas Google. A AMP é uma estratégia relativamente nova no mercado, muitos ainda não investem na redução de tempo, preferindo manter-se no básico. Entretanto, ela já é vista como um diferencial na hora de buscar por informação. Nomes como o The New York Times e Wall Street Journal foram os primeiros a otimizar o tempo de carregamento de suas páginas, dando uma nova visibilidade aos seus conteúdos. Atualmente, todos os tipos de portais podem criar uma versão AMP por meio do WordPress, por exemplo.